publicada em 14/12/2016 e atualizada em 31/12/1969

Tinha um estilo bem diferente, bem ruim, mas na época achava o máximo

Funk NotíciasRio de Janeiro, Brasil

ludmilla

Ela chegou ao mercado musical como "MC Beyoncé", mas pouco tempo depois deslanchou e resolveu mostrar seu verdadeiro nome. Aos 21 anos, Ludmilla acumula hits, milhões de seguidores nas redes sociais, mas também alguns haters, que não acreditaram em seu sucesso assim que ela estourou com a música "Fala mal de mim". Isso, no entanto, a cantora garante, não mexeu com ela.

"Continuei trabalhando para provar que tinha vindo para ficar e corri atrás dos meus sonhos, sem escutar essas coisas.

Da mesma forma que uns diziam que meu sucesso era passageiro, tinha muito mais gente dizendo que eu era talentosa demais e devia continuar, pediam mais músicas, perguntavam pelo próximo CD. "Foi isso que me fez seguir em frente, por isso nunca pensei em desistir".

No clima de seu último hit, "A Danada Sou Eu", Ludmilla conta o que considera uma mulher danada. "É ser uma mulher autêntica, que faz tudo o que quer, que escolhe o que é melhor pra sua vida, pra sua relação. A danada realmente sou eu", gaba-se, confiante.

ludmilla

Ludmilla está completamente diferente de quando começou. E a mudança não foi só no cabelo, que já foi loiro, rosa, azul, liso, cacheado... A funkeira fez algumas intervenções cirúrgicas, entre elas duas lipos e duas rinoplastias. "Estou satisfeita com o meu corpo, estou bem assim, me sentindo bem", conta.

Sincera, ela diz que mudou muito seu estilo nos últimos anos. Hoje ela é assessorada por um stylist e uma maquiadora, mas antigamente não era assim. “Comecei a gostar de moda depois da fama. Quando eu era MC Beyoncé, tinha um estilo diferente, bem ruim,

mas na época achava o máximo", admite, dizendo como se comporta hoje em dia. "Quando saio, dou uma produzida, mas, em casa, só ando de moletom, blusa larga, zero maquiagem”.

Avessa a dietas e exercícios físicos, ela admite viver em uma constante luta com a vontade de comer. “Só faço dieta às vezes. Quando vejo que está demais ou começo engordar, dou uma segurada. Como muito, tenho que fazer exercício, senão engordo rápido demais, mas detesto fazer. Faço porque preciso".

ludmilla

Em maio deste ano, Ludmilla teve que prestar queixa à polícia contra um ataque racista que sofreu na internet. A cantora contou que, no início da carreira, ganhou alguns nãos por causa da sua cor de pele. "Disseram que eu era boa, engraçada, mas que o perfil tinha que ser de mulher branca, que o cabelo tinha que ser diferente. Agora as pessoas têm um respeito maior".

Em suas músicas, Ludmilla diz que leva empoderamento a mulheres em condições como a sua. “Canto e levanto a bandeira de que a mulher tem que ser o que ela quiser, e não o que dizem que ela tem que ser. É cada um cuidando da sua vida e você tem que fazer o que te faz feliz".

ludmilla

Com milhões de seguidores no Instagram, Facebook e Twitter, Ludmilla sabe que tudo o que faz gera comentários. Bons e ruins! "Antigamente olhava muito essa coisa de hater, depois passei a colocar na balança. Até quando você é anônimo, mas se destaca por alguma coisa, é alvo de inveja. Quando você é uma pessoa pública, aparece na televisão, acaba colocando a cara a tapa, fica exposto. Então vi que acontece com todo mundo, não só comigo, aprendi a lidar e não ligar. Não levo para o coração e nem para a vida".

ludmilla

fonte: EGO

deixe seu comentário


funknoticias.net | Todos os Direitos Reservados - ©2015